Conecte-se conosco

Gestão

Gestão por indicadores em construtora: 3 dicas para começar

Publicado a

I

Ilustração sobre kpis e gestão por indicadores

Você sabe quanto tempo os seus corretores gastam, em média, para fechar uma negociação, desde o primeiro contato até o fechamento da venda? Tem conhecimento sobre o retorno médio trazido por cada um deles para a sua construtora? Sabe ainda quantas vendas são efetivadas mensalmente? Se a resposta para todas essas perguntas é sim, você está no caminho certo. Entretanto, lamentamos dizer que essas informações não contemplam nem metade do que você precisa saber para gerir a sua empresa e os seus colaboradores com eficiência e assertividade. Para isso, você precisar contar com uma gestão por indicadores (KPIs) para a sua construtora.

Mas, o que seria uma gestão de indicadores e como começar a fazê-la da forma correta? Esclarecer essas dúvidas é exatamente o objetivo do artigo de hoje. Nele, mostraremos o porquê que a gestão por indicadores é uma alternativa viável e ainda disponibilizaremos algumas dicas de por onde começar na hora de implementar esse tipo de gestão em sua construtora. Acompanhe: 

Afinal, como a gestão por indicadores (KPIs) pode ajudar minha construtora?

A expressão KPI (Key Performance Indicator) pode ser traduzida como Indicador-Chave de Performance, em português. A sigla faz referência aos índices utilizados para medir como determinadas ações atendem a certos objetivos. Na maioria dos casos, eles estão relacionados aos principais processos do negócio.

Vale lembrar que KPIs não devem ser confundidas com métricas. Ou seja, métricas são vistas apenas como algo a ser medido. Em contrapartida, os KPIs são indicadores importantes para um objetivo. Se uma métrica passa a ser relevante para a estratégia, ela é vista como um indicador-chave.

Sabia que grande parte dos donos de construtoras ignoram os KPIs para construtora, mas a atividade é tão importante quanto o próprio planejamento estratégico do negócio? Afinal, é dessa forma que vamos levantar informações relevantes que ajudam não só o plano de negócios, mas também a própria gestão de colaboradores e de resultados.

Por exemplo, imagine a seguinte situação: você está em um balão de ar, viajando entre dois municípios. Pense como é possível saber se está indo no caminho certo ou se as coisas estão andando bem? A resposta é simples: você precisa de equipamentos que indiquem a altura exata do balão, qual a sua velocidade, qual a direção que está indo, há quanto tempo está voando, quantos quilômetros faltam para chegar. Sem esses dados, você estará perdido.

O mesmo acontece em sua construtora. Assim, sem uma gestão por indicadores efetiva a sua empresa nunca encontrará o rumo correto. Mas, por onde começar? Continue lendo o nosso post e entenda:

Quais os principais KPIs para a sua construtora?

1. Taxa de conversão por origem

De forma mais ampla, a taxa de conversão é calculada ao verificar quantos clientes criados e atendidos em um período dividido pela quantidade de vendas nessa mesma faixa de tempo. Por exemplo: se temos 202 leads criados, sendo que 37 fecharam venda, então, a taxa de conversão é de 18,32%. Importante acompanhar por um relatório, como o BI abaixo:

gestão por indicadores

Depois é necessário aprofundar a análise para descobrir a taxa de conversão por origem (ou canal). Ou seja, qual a taxa de conversão dos clientes que foram criados, a partir, por exemplo, do Facebook, site ou mesmo pelos clientes que visitaram o stand. Seguindo o exemplo acima, ao filtrar por origem, a taxa de conversão do Facebook foi de 10,42%:

gestão por indicadores

Além disso, é imperativo acompanhar de perto quais os canais que mais obtiveram retorno em taxa de conversão e ainda dar o devido feedback para cada equipe responsável.

2.Tempo de atendimento

Um outro KPI é o tempo de atendimento, que impacta diretamente na efetivação da venda e na satisfação do cliente.

No setor imobiliário, os clientes acreditam ser aceitável serem atendidos em até 24 horas. Contudo, segundo pesquisas recentes, contatos realizados nos primeiros cinco minutos aumentam a chance de sucesso em 100 vezes. 

Por isso, desde o primeiro contato até a entrega das chaves e o pós-venda, o cliente deseja ser atendido rapidamente para sentir-se bem auxiliado pela empresa sobre do processo da obra.

Outro ponto que precisa ser levado em consideração é o tempo gasto para dar um retorno e atender leads (possíveis clientes que demonstraram interesse em um determinado produto da sua empresa), que são atraídos pelas campanhas digitais realizadas pela sua construtora.

Por exemplo, quando o departamento de marketing da sua empresa promove anúncios no Facebook e essa campanha é assertiva, consequentemente, ela vai atrair leads e, por esse motivo, é imprescindível que corretor de imóveis não demore para entrar em contato com o possível cliente.  

Nesse sentido, um ponto que deve ser levado em consideração é o Tempo Médio de Atendimento (TMA), que é dividido em duas partes:

  1. tempo entre o lead ser gerado por uma campanha e receber o primeiro atendimento;
  2. tempo entre o cliente mudar de etapa de atendimento e ter o primeiro registro de atendimento no CRM. Por exemplo: tempo entre o cliente entrar na etapa “proposta” e, na sequência, o responsável registrar a aprovação.

gestão por indicadores

3.Gestão por indicadores

O importante é definir bem a sua gestão por indicadores, porém o mais importante é medir esses indicadores constantemente. No caso do mercado imobiliário, o importante é levar em consideração as seguintes KPIs:

  • taxa de conversão (geral e por origem);
  • ticket médio de venda;
  •  tempo gasto para o primeiro atendimento.

Com o tempo, você pode fazer ajustes e descobrir quais realmente estão relacionadas ao sucesso e quais são apenas métricas. Acima de tudo, lembre-se que a lógica em KPIs é: “se não dá para medir, não vale a pena fazer”.

O que você achou do conteúdo de hoje sobre gestão por indicadores em sua construtora? Ele foi útil para você? Conte para a gente nos comentários! Não deixe de ler também o nosso artigo sobre os principais desafios na gestão de atendimentos no mercado imobiliário!

Continue lendo
Clique aqui para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Gestão

Saiba como otimizar sua gestão de vendas com o auxílio de um CRM imobiliário

Publicado a

I

Você já enfrentou problemas em utilizar de forma eficaz as informações da sua carteira de clientes? Em achar o imóvel ideal de acordo com o interesse do cliente? Diante dessa realidade, para o crescimento da empresa, controle e gestão em todas as etapas do processo de vendas, é imprescindível adotar ferramentas e tecnologias que melhorem a eficiência no processo de vendas, como por exemplo, o CRM imobiliário.

Descubra neste artigo como boas ferramentas de CRM podem fazer a diferença na hora de acompanhar e gerir o processo de vendas em uma construtora, incorporadora, loteadora ou imobiliária. Vamos lá?

O que é CRM?

O CRM é um sistema desenvolvido com o objetivo de otimizar as atividades de vendas, marketing e atendimento ao cliente.

Seu objetivo é capturar e interpretar dados do cliente – criando o suporte necessário para o gerenciamento de todo o relacionamento com o cliente. Na prática, o CRM automatiza processos e fluxos de trabalho, ajudando a organizar e interpretar dados para envolver seus clientes com mais eficiência.

Confira os principais benefícios de usar um CRM:

  1. Otimização das estratégias de marketing; 
  2. Maior eficiência do fluxo de trabalho;
  3. Análise aprimorada de dados dos clientes;
  4. Melhor relacionamento com o cliente;
  5. Crescimento dos resultados de vendas.

Por que contar com ferramentas de CRM é importante?

Para ter sucesso em todas as etapas do processo de vendas é imprescindível ter uma gestão assertiva de todos os atendimentos de potenciais clientes (leads), isso fica fácil utilizando ferramentas de CRM, com: o atendimento rápido, fila de atendimento, registro de atendimento e registro de lembretes futuros, por exemplo. Continue conosco, pois, a seguir, vamos explicar o motivo.

Talvez você tenha trabalhado bastante a geração de leads, mas se essas oportunidades não tiverem a gestão completa focada em resultados, temos aqui um grande problema: provavelmente existem grandes chances de que o capital investido em mídia e captação seja desperdiçado com a baixa conversão.

E ainda falando em gestão de leads, já que essa é uma preocupação de construtoras e incorporadoras, existem no mercado vários CRM’s que fazem a gestão dessas oportunidades. Mas uma grande parte dessas ferramentas de CRM acabam deixando de lado um pilar bem importante: a adaptação ao processo de vendas já praticada pelo cliente.

Aposte em um CRM que integre com ERP

Enquanto você organiza  os processos do seu negócio, pode aproveitar as informações dos dois dados para oferecer um atendimento mais assertivo e eficiente para clientes. É um processo que ocorre naturalmente quando os dados do seu CRM se integram aos do ERP.

Da mesma forma, o seu ERP pode se beneficiar de informações geradas em tempo real pelo CRM: no momento em que uma venda é fechada, as informações da transação já podem ser recebidas pelo departamento financeiro, por exemplo. Quanto maior a facilidade de cruzar informações, melhor para a produtividade da equipe e finalização para a venda.

CRM eficiente na integração com o Sistema de Reservas

A integração do CRM com o sistema de reservas facilita o controle de unidades de forma automática de acordo com a etapa do lead. 

Visão do funil de reservas: organizada para que o gestor tenha as informações essenciais de forma eficiente e fácil acesso. A dinâmica de cards de clientes permite a execução de ações rápidas que agilizam o atendimento, sem precisar mudar de tela, facilitando para gestores e corretores darem o próximo passo no atendimento. 

Filtros de busca: você pode encontrar seus clientes de forma mais rápida utilizando filtros inteligentes.  

Regra de ociosidade dos atendimentos: permite ao gestor configurar por etapas e status tendo maior controle do tempo de atendimento do lead em todas a jornada da venda.

Transformação digital no mercado imobiliário

As construtoras perceberam a mudança no mercado imobiliário e a necessidade de evoluir para atender o cliente. Assim, muitas delas estão investindo no digital e na tecnologia para atrair e acompanhar o novo consumidor.

Ainda é comum que algumas construtoras utilizem a ferramenta do WhatsApp como principal fonte de contato e armazenamento de informações sobre clientes, mas você gestor, acha mesmo que essa é a melhor prática a se seguir?

Enviar materiais de vendas e receber documentos pelo WhatsApp é uma prática bastante comum no mercado imobiliário, mas pode não ser o caminho mais seguro e assertivo para a sua incorporação. Isso porque, ele não fornece o controle e gestão adequados. Mas qual seria então a solução para ter de fato um processo de vendas organizado e consequentemente funcional?

No app Facilita é possível acompanhar toda a jornada do cliente, do início ao fim da venda. Confira os detalhes de cada processo e saiba como ter mais controle das etapas de venda, fale com um de nossos consultores!

Continue lendo

Gestão

Descubra como engajar sua equipe na montagem de pastas digitais para lançamentos

Publicado a

I

Você sabia que uma construtora que ainda não trabalha com montagem de pastas digitais tende a ter maiores chances de falhas na comunicação? Temos visto que o processo de vendas 100% digital pode trazer mais rapidez e simplicidade a sua gestão como um todo! 

Dentre os muitos benefícios, a montagem de Pastas Digitais é um diferencial para os lançamentos, determinando de forma organizada a quantidade de pessoas interessadas no empreendimento, centralizando tudo em um único canal para envio de documentos. 

Acompanhe neste artigo tudo o que você precisa saber para engajar os corretores na montagem de pastas digitais!

O que é pasta digital?

A pasta digital é uma solução que visa facilitar as vendas do mercado imobiliário, ajudando na organização das informações dos clientes, reunindo todos os documentos necessários em um único local, acessível de forma online para corretores e gestores. Assim, é possível acompanhar a aprovação ou alteração de documentos e informações das pastas.

Afinal, como engajar a equipe na montagem de pastas digitais para lançamentos?

As pastas digitais tornam todo o processo mais organizado e centralizado, trazendo a previsibilidade das vendas, agilidade e comunicação eficiente com os corretores. Mas será que a minha equipe vai utilizar as pastas digitais?

Uma das grandes vantagens é justamente essa, os corretores vão ter uma maior adesão à montagem de pastas digitais, pois o processo se torna mais fácil e simples para eles. 

Além de toda essa praticidade na montagem das pastas pelo app, dar treinamento e criar bonificações para os corretores são pontos que vão garantir essa adesão e incentivá-los a montar mais pastas e consequentemente vender mais. A implementação desse processo com treinamentos e materiais informativos vai permitir que os corretores tenham forte engajamento, inserindo todas as pastas no sistema.

Se um dos maiores desafios na montagem de pastas é o tempo, sua incorporadora precisa de uma solução dinâmica e fácil. E é exatamente isso que o App Facilita oferece: realizar envio de proposta e montagem de pastas direto no aplicativo.

Facilidades no lançamento:

• Previsibilidade de vendas;

• Praticidade para os corretores;

• Aprovação rápida e centralização de dados.

Etapas da montagem das pastas digitais 

Se você pensa em utilizar uma ferramenta tecnológica como o app Facilita para o seu Lançamento Digital é preciso pensar na dinâmica do lançamento digital em 4 etapas: 

  1. Pré- Meeting
  2. Pré- Lançamento
  3. Lançamento
  4. Pós- Lançamento

Preparamos um manual com tudo que você precisa para estruturar a montagem de pastas digitais e realizar lançamentos de sucesso, baixe gratuitamente:

Continue lendo

Gestão

Diagnóstico comercial: descubra por que o seu produto imobiliário não está sendo um sucesso de vendas

Publicado a

I

Por trás do lançamento imobiliário de qualquer produto, há uma equipe qualificada que se dedicou por meses para concepção e execução dele. No decorrer desse tempo, todos constroem expectativas em relação ao lançamento e se preparam para que ele seja um verdadeiro sucesso. 

Acontecem casos, porém, em que o produto não é bem recebido pelo mercado e, diferente do planejado, as vendas não decolam após o lançamento. Essa situação gera muita frustração aos incorporadores e demais envolvidos no projeto, que nem sempre possuem clareza sobre o que não está satisfatório em seu produto ou processo de vendas. 

Com a intenção de descobrir quais são os problemas comerciais envolvidos e contornar a situação para que o produto imobiliário venha a ter sucesso, surge o Diagnóstico Comercial. Neste artigo, você conhecerá mais sobre esse tipo de serviço. 

Principais causas de problemas comerciais

Primeiramente, é importante ressaltar que quando um produto imobiliário apresenta problemas de vendas, geralmente não há uma causa única, e sim, um conjunto de causas. É comum que uma série de fatores combinados estejam interferindo no sucesso do produto. Confira a seguir alguns deles: 

  • Problemas de localização, que podem ocorrer devido à vista ou vizinhança que não agrada os compradores, à face do imóvel com problemas relacionados a insolação e a ventilação; à dissincronia entre a renda da população da região e a renda necessária para aquisição do produto e à distância relativa até pontos chave da cidade;
  • Problemas de precificação, como um ticket elevado, que pode não estar adequado a região, aos concorrentes ou ao padrão do produto, ou tabelas de vendas que precisam de ajustes em seus prazos ou taxas de juros; 
  • Problemas de comercialização, que podem ser reflexo de uma atitude passiva da equipe comercial, de falhas de gestão, do trabalho realizado com os leads, da qualidade dos plantões de vendas, da falta de preparo ou treinamento da equipe comercial, dos materiais disponíveis para apresentação aos clientes, do comprometimento dos corretores e imobiliárias com o seu produto e até mesmo de como foi o ato de comercialização no lançamento;
  • Problemas de comunicação, como a escolha inadequada das mídias a serem utilizadas, a geração de leads de forma insuficiente ou não qualificada, uma comunicação que não atinja o público-alvo ou seja confusa, entre outros;
  • Problemas de produto, que podem ser diversos e ocorrem quando o empreendimento apresenta itens que são criticados ou insatisfatórios para os clientes.

Todos esses fatores são difíceis de serem analisados quando se está inserido no cenário e contexto do lançamento do produto. Devido a isso, a contratação de empresas terceirizadas para realização dessas análises é bastante recomendada. Entender quais destes problemas estão interferindo nas vendas faz parte de um estudo chamado Diagnóstico Comercial

Para que serve o Diagnóstico Comercial?

O principal objetivo deste serviço é trazer clareza sobre o que está prejudicando as vendas, para que os empresários possam agir diretamente nas causas. Lembrando que os problemas comerciais costumam ser gerados por um conjunto de causas, então além de compreender quais são elas, é importante saber quais podem gerar maior impacto se tratadas com prioridade. Dessa forma, o relatório final de um Diagnóstico Comercial traz indicações de quais são as causas principais e as causas acessórias dos problemas de vendas, além de orientações sobre como eles podem ser solucionados. 

Como realiza-se a investigação dos problemas comerciais?

Um Diagnóstico Comercial é realizado através de uma investigação profunda de todos os aspectos que podem interferir nas vendas do produto imobiliário. Para atingir essa compreensão, costuma-se seguir as etapas abaixo descritas:

  1. Análise do histórico de lançamento do produto e da evolução das vendas;
  2. Análise do investimento em marketing e da geração de leads;
  3. Entrevistas com os corretores;
  4. Entrevistas com os compradores;
  5. Entrevistas com não compradores;
  6. Realização de cliente oculto com concorrentes;
  7. Análise dos concorrentes;
  8. Avaliação das tabelas de vendas;
  9. Análises de localização e geodemografia;
  10. Análise global do contexto de lançamento.

Por fim, gera-se um relatório do diagnóstico comercial com as causas principais e causas acessórias do problema de vendas. Apesar dele possuir mais de uma causa, é comum uma ou duas se sobressaírem como as principais e, trabalhando elas, é possível resolver o problema.

Use o cupom FACILITA-15 e tenha 15% de desconto nos cursos

Continue lendo

mais acessados do Blog

pt_BRPortuguese