Conecte-se conosco

Mercado Imobiliário

Como está o mercado de imóveis nacional?

Publicado a

I

O mercado de imóveis nacional fechou o primeiro semestre do ano com um grande crescimento nas negociações, alcançando um patamar histórico nunca visto antes nas vendas do mercado imobiliário. Em contrapartida, a alta nos custos dos materiais de construção têm mantido um crescimento moderado no estoque de imóveis, o que pode comprometer a oferta de imóveis no Brasil.

Na discussão sobre construção de imóveis é prevista uma disputa entre incorporadoras para alcançarem suas metas e barrar essa desaceleração no ritmo de lançamentos e vendas. Nesse sentido, uma solução seria um dinamismo maior nas negociações, mas como organizar o processo de vendas de forma eficiente? Acompanhe a seguir!

 

Aumento nas vendas de imóveis

Segundo dados da representante institucional do setor imobiliário no Brasil e no exterior, a Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil (CBIC), houve um aumento de 27,1% nas vendas de imóveis no primeiro trimestre de 2021 em comparação ao mesmo período em 2020. Seguindo a tendência de crescimento do mercado de imóveis nacional, no acumulado de 12 meses, o crescimento foi de 38%, totalizando 51.244 unidades comercializadas segundo a pesquisa do Mercado Imobiliário realizada pelo departamento de Economia e Estatística do Sindicato de Habitação (Secovi-SP).

O número de financiamentos imobiliários cresceu em 113% no primeiro trimestre de 2021 se comparado ao mesmo período em 2020, como aponta relatório da Abrainc em parceria com a Fipe. Recentemente, a Caixa anunciou redução nos juros do financiamento imobiliário, a  taxa mínima passará de 3,35% ao ano mais o rendimento da poupança (SBPE) para 2,95% ao ano mais o rendimento da poupança. Haja vista, as contratações com a nova taxa terão início em 18 de outubro.

O que mais chamou a atenção do mercado imobiliário foram os números de lançamentos, totalizados 61.199 imóveis, um aumento de 61,7% sobre o mesmo intervalo do ano de 2020. Isso desencadeou uma grande conquista, findando esse como o melhor semestre da série histórica, sendo comercializadas 39.615 unidades no 2º trimestre de 2021, o que representa um avanço de 30,1% e as vendas chegaram à 74.438 unidades, representando um aumento de 25,9% em relação ao mesmo período de 2020.

 

Queda no estoque de imóveis

Reflexo da alta nos materiais de construção, dados da CBIC apontam que o estoque de imóveis registrou o patamar mais baixo já registrado desde janeiro de 2016.

Diante das incertezas com a pressão sobre os custos de materiais de construção, pode haver uma desaceleração no ritmo de lançamentos e vendas de imóveis. Isso interfere diretamente na dinâmica de oferta e procura, pois a expectativa para os próximos meses aponta que a intenção de compra de imóveis está em ascensão

Um exemplo disso, é o reflexo de uma pesquisa de demanda do mercado de imóveis apurada e divulgada pela Abrainc e Brain Inteligência em março de 2021, apontando que 60% dos paulistanos devem comprar algum imóvel nos próximos meses.

Em compensação, as perspectivas para o médio e longo prazo indicam um cenário positivo, mesmo com a alta dos juros. Em vista disso, incorporadoras, loteadoras e imobiliárias já estão se preparando para o novo ciclo imobiliário. Estando em um momento tão competitivo, incorporadoras que possuem o processo de venda mais simples, rápido e eficiente ganham pontos com o consumidor.

Processo de vendas

Você sabe como organizar o processo de vendas de forma eficiente? Com diversas oportunidades de vendas surgindo a todo instante e esforços simultâneos realizados pelos corretores, é fundamental organizar todo o fluxo de trabalho e procurar por soluções que automatizam os processos comerciais da empresa.

Nos últimos anos, a tecnologia se tornou a veia dos processos de vendas de vários setores da economia e, por isso, o mercado imobiliário tem procurado se inserir cada vez mais na transformação digital.

Não existe mais espaço para processos manuais, isso porque são mais demorados e menos eficientes. Então, as construtoras estão procurando soluções que simplifiquem o processo de vendas, da mesma forma que buscam agilidade para o atendimento dos corretores e controle aos gestores.

É preciso saber como montar um processo de vendas que reúna as características essenciais para atingir os objetivos comerciais e replicar o nível de desempenho desejado, centrado no cliente, claramente definido, previsível, orientado para objetivo, mensurável, adaptável e confiança da equipe. Por isso, visando um maior controle e automação de processos, melhor gestão e melhor relacionamento com o cliente, ferramentas que otimizam processos como ERP e CRM ganharam muita popularidade dentro das imobiliárias nos últimos anos.

 

Como é mudar de um processo manual para um processo de vendas 100% digital?

Diretores Comerciais contam, em primeira mão, sobre a experiência de implementar uma cultura digital no processo de vendas. Quais foram as mudanças? Quais foram os resultados?

Assista o vídeo completo para saber como eles conseguiram mais controle, mais velocidade e mais eficiência com o App Facilita:

 

Case: como foi organizar o primeiro lançamento digital da RH Empreendimentos?

O processo de vendas da RH Empreendimentos era feito manualmente através de planilhas, desde a reserva do lote, preenchimento de proposta, ficha cadastral e envio de documentos. 

Por ser manual, acarretava na demora para realização de análises e aprovações das propostas. Com isso, o risco de perder vendas era alto, além de deixar complexo o trabalho do corretor e setor administrativo.

Para o lançamento do loteamento Nova Indaial fase 8, resolveram dar mais agilidade ao processo de vendas implementando o Facilita.  O objetivo principal era dar apoio aos corretores com materiais de marketing e informações do empreendimento, compartilhar disponibilidade das unidades e gerenciar reservas, dar agilidade na análise das propostas. Veja este case de sucesso completo AQUI.

 

Conheça nossa Redatora e Analista de Marketing! Especialista em Marketing Digital, Gestão de Vendas e Letramento Informacional, Elen é uma verdadeira apaixonada por desvendar os segredos do mercado imobiliário. Sua missão é ajudar você a aprimorar processos e manter-se atualizado com as mudanças constantes do setor. Prepare-se para uma jornada de vendas fácil, descomplicada e transformadora, com conteúdo que fará toda a diferença!

Continue lendo
Clique aqui para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mercado Imobiliário

Queda da Selic e aumento nas buscas por compra de imóveis em 2024

Publicado a

I

Compreenda o cenário atual do mercado imobiliário brasileiro em 2024 e como as recentes mudanças na taxa básica de juros têm impactado as buscas por compra de imóveis. Nesse post, vamos explorar em detalhes as consequências da queda da Selic e as oportunidades que surgem para as incorporadoras, loteadoras e imobiliárias e para quem busca realizar o sonho da casa própria este ano. Não deixe de acompanhar a análise sobre as transformações econômicas e seus reflexos no setor habitacional, confira!

Redução da Taxa Selic

O cenário econômico brasileiro vem passando por mudanças significativas, refletindo diretamente no mercado imobiliário. Em meio a essas transformações, destacamos um fator crucial: a redução da taxa Selic. Na última decisão do Copom, realizada em 31 de janeiro, a taxa básica de juros foi reduzida para 11,25% ao ano, marcando o quinto corte consecutivo e atingindo seu menor nível desde março de 2022. Essa medida tem implicações diretas no setor imobiliário, estimulando um aumento nas buscas por compra de imóveis.

Aumento nas buscas por compra e venda de imóveis no Google

De acordo com dados do Google, as pesquisas relacionadas à compra e venda de imóveis cresceram significativamente em janeiro de 2024, registrando um aumento de 12,2% em comparação ao mesmo período do ano anterior. Esse crescimento foi ainda mais expressivo em alguns estados, como Espírito Santo, Piauí e Tocantins, onde as buscas aumentaram mais de 20%.

A busca por alternativas habitacionais também se destacou, com um aumento de 25% nas pesquisas relacionadas à mudança de moradia, sugerindo um maior interesse em deixar o aluguel e investir na compra da casa própria. Esse movimento é impulsionado não apenas pela queda na taxa de juros, mas também pelo desejo de estabilidade e segurança proporcionados pela posse do imóvel.

É importante ressaltar que a Caixa Econômica Federal, como principal instituição financeira no mercado imobiliário, também foi alvo frequente das buscas, principalmente por sua atuação em programas como o Minha Casa, Minha Vida (MCMV) e pela competitividade de suas taxas de juros.

A crescente demanda por moradias próprias, refletindo não apenas uma busca por segurança financeira, mas também por estabilidade e conforto. Com a redução da taxa Selic e as oportunidades oferecidas pelo mercado, o momento se mostra propício para aqueles que desejam realizar o sonho da casa própria em 2024 e é um cenário de oportunidades de vendas para incorporadoras, loteadoras e imobiliárias.

O que você achou do conteúdo? Não deixe de continuar acompanhando as novidades do nosso blog!

Continue lendo

Mercado Imobiliário

O sonho da casa própria em 2024: pagamento à vista em destaque

Publicado a

I

O ano de 2024 promete ser marcante para muitos brasileiros que almejam conquistar a casa própria, revelam pesquisas recentes. Com 31% dos entrevistados desejando realizar esse sonho, a perspectiva é otimista, especialmente para quem planeja pagar à vista, sendo esse o objetivo de 47% dos futuros proprietários.

A pesquisa da Febraban indica que a busca por um lar próprio está alinhada com a expectativa de melhoria na vida pessoal e familiar de 74% dos entrevistados. Essa inclinação também reflete no crescimento do Minha Casa Minha Vida, impulsionando os negócios em quase 30% em comparação com 2022.

A preferência pelo pagamento à vista é confirmada pela pesquisa do Grupo OLX, revelando que 11% dos interessados planejam utilizar o saldo do FGTS para concretizar a compra. Enquanto 51% consideraram um financiamento, quase metade não busca crédito, apontando para uma abordagem cautelosa diante das opções disponíveis.

Cortes na taxa de juros em 2024 

A perspectiva de novos cortes na taxa de juros em 2024 e a reorganização do mercado de financiamentos incentivam diversas empresas imobiliárias a explorar oportunidades de rentabilidade por meio de financiamentos, destacando o momento positivo no setor.

Em paralelo, o mercado imobiliário em Santa Catarina se destaca, movimentando negócios milionários em cidades como Balneário Camboriú, Itapema e Florianópolis. Cidades como São José e Itajaí registraram valorizações expressivas, enquanto o mercado de locação de temporada apresentou crescimento significativo no verão.

Empresas especializadas, como o Espaço Smart, projetam faturar R$ 500 milhões em 2024, atendendo clientes de alto padrão com uma proposta inovadora de escolha do projeto e construção.

A pesquisa do Grupo OLX também revela que, apesar da maioria (51%) considerar um financiamento necessário, mais de 40% dos futuros compradores demoram mais de 12 meses para fechar o negócio, destacando a complexidade da decisão.

Financiamento imobiliário

O cenário de saques consecutivos na poupança nos últimos anos desafia o crédito imobiliário, sinalizando a necessidade de novas fontes de financiamento. Analistas apontam que as retiradas refletem um orçamento mais apertado e alto endividamento das famílias, destacando a importância de opções estruturais para sustentar o setor.

Em meio a esse panorama, a jornada digital se destaca, com portais imobiliários e sites de anúncios dominando a busca por imóveis, evidenciando a tendência de uma jornada cada vez mais digital, autônoma e eficiente para os futuros proprietários.

O ano de 2024 se desenha como um período promissor para o setor imobiliário, com as expectativas positivas refletindo não apenas o desejo da casa própria, mas também a busca por soluções inovadoras e estratégicas em um mercado dinâmico e em constante transformação.

Planejamento de lançamentos em 2024

Gestores Comerciais de Construtoras, existem vários discursos lindos e envolventes… mas na prática: quais são os resultados de se aplicar tecnologia em lançamentos? Glauco Farnezi, como CEO do Facilita, acompanhou lançamentos de mais de 300 construtoras nos últimos anos e analisou mais de 2,5 milhões de atendimentos e um VGV de R$ 7,6 bilhões. Ele compartilhará benchmarkings e insights com outros gestores comerciais de construtoras que querem bater suas metas de vendas nos lançamentos.

Continue lendo

Mercado Imobiliário

O seu CRM atual é adaptável ao seu processo de vendas?

Publicado a

I

Continue lendo

mais acessados do Blog

pt_BRPortuguese