Conecte-se conosco

Mercado Imobiliário

Expectativas para o mercado imobiliário em 2022

Publicado a

I

Como podemos acompanhar, entre os anos 2020 e 2021 havia um receio de que o mercado imobiliário sofresse grandes prejuízos, porém, ele se destacou positivamente, mesmo em meio às incertezas impostas pela pandemia da Covid-19. Inclusive, os indicadores do segmento mostraram um dos melhores momentos do setor no Brasil e as expectativas de crescimento para o setor em 2022 são grandes.

De acordo com as projeções, o setor imobiliário é considerado um dos pilares para “fazer girar” a economia brasileira. Mas e você, já sabe quais são as expectativas para o mercado imobiliário em 2022?

Acompanhe neste artigo como foi o mercado imobiliário em 2021 e o que esperar do setor de imóveis para 2022. Confira a seguir!

Como foi o mercado imobiliário em 2021?

Antes de discutirmos sobre as expectativas para o mercado imobiliário em 2022 é importante trazermos um retrospecto sobre como foi o comportamento do mercado imobiliário nesse último ano. Seguindo essa lógica, considerando os efeitos da crise sanitária que ainda estamos vivendo, temos visto que o mercado imobiliário em 2021 tem sofrido com a alta da inflação, mas também, conquistou grandes marcos históricos. Veja: 

Ciclo de reajustes da Selic 

O ciclo de reajuste no valor da Taxa Básica de Juros (Selic), chegou a 7,75% ao ano, a previsão é que essa taxa sofra novos reajustes. A alta da inflação foi determinante para o aumento decorrente da Selic, que em janeiro era de 2% ao ano, o menor patamar da história do país.

É importante avaliar se as pessoas estão mantendo a sua renda, analisando de uma forma geral a atividade econômica. Pois, esse aumento exigirá um nível de renda ainda maior para os compradores de imóvel. De certa forma, dificilmente o mercado estará sujeito a pausas bruscas em decorrência desse tema em específico. Com o aumento da taxa Selic, o Banco pretende frear o consumo, a fim de auxiliar no controle da inflação.

O aumento no preço dos materiais de construção

Na discussão sobre construção dos imóveis, temos acompanhado a disparada nos preços dos materiais de construção em 2021. A expectativa é que, com uma possível baixa na inflação, esses preços parem de subir na proporção que estão subindo, ou ainda, comecem a reduzir. 

Um custo de produção menor, possibilita que os imóveis não aumentem tanto o preço. Assim, tendo um dinamismo maior quando falamos de mercado imobiliário de uma forma geral. 

Reforma tributária

O Governo Federal, por meio do Ministério da Economia, apresentou uma proposta de reforma tributária. Dentre os diversos itens propostos, a reforma inclui a tributação dos dividendos dos fundos imobiliários em 15%. No entanto, a proposta também reduz a alíquota de imposto sobre ganhos de capital de 20% para 15% a partir do ano de 2022.

Ressignificação da casa

Em decorrência do isolamento social as pessoas passaram a ficar em casa por um período maior de tempo. Em vista disso, a casa passou a ser observada com uma nova percepção. Além de ser um ambiente de descanso e lazer, passou a ser o local de trabalho, substituta de ambientes escolares, entre outros.

Sendo assim, imposta uma parada que fez com que as pessoas deixassem de lado o convívio social e ficassem em casa dia após dia. Logo, o ambiente em questão passou a ser “observado por um novo ângulo” e foi surgindo a necessidade de adequar o espaço para suprir todas as novas necessidades. 

Avanços tecnológicos no mercado imobiliário

Em meio às adversidades impostas, a pandemia trouxe uma aceleração na revolução tecnológica de processos comerciais. Assim, com o surgimento da necessidade acelerada de mudança cultural, gestores do mercado imobiliário têm buscado soluções para otimizar o processo de vendas.

Uma medida para que incorporadoras, construtoras, loteadoras e imobiliárias alcancem suas metas e se mantenham na competição do mercado é organizar a gestão imobiliária digital , um processo eficiente que pode ajudar no processo de vendas.

O lançamento digital, por exemplo, é uma modalidade que tem funcionado bastante no mercado imobiliário. Isso porque, as etapas da venda são digitalizadas, visando mais agilidade e eficiência. Além disso, o forte desempenho nos lançamentos e vendas no mercado imobiliário, se dão pela destreza em manter os lançamentos e consequentemente as vendas em movimento.

Seguindo por essa linha, alguns recursos são essenciais para descomplicar processos e permitir que sua incorporadora venda mais e melhor, como a Assinatura Eletrônica, que tem sido muito adotado no cenário atual do mercado imobiliário. O gestor busca por um processo simples e rápido na jornada de venda. Facilitar esse processo e oferecer uma melhor experiência para os clientes é o objetivo principal da assinatura eletrônica no mercado imobiliário.

O que esperar do setor de imóveis para 2022?

Como já temos abordado há algum tempo, estamos vivendo um novo ciclo, nunca se vendeu tantos imóveis quanto em 2021!

Mesmo o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) em alta de 17%, de junho de 2020 a junho de 2021, afetando no custo com materiais e equipamentos, a retomada da economia após o início da vacinação contra o coronavírus deu abertura para a permissão da continuidade das obras nos canteiros. Com isso, as vendas voltaram a crescer.

De acordo com o economista-chefe do Secovi-SP e vice-presidente de área da Comissão da Indústria Imobiliária da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (Cbic), Celso  Petrucci,  ocorreu um crescimento de 60% no número de lançamentos no segundo trimestre de 2021 em relação ao 1º trimestre do ano, quando comparado ao mesmo período de 2020:

“Tivemos um primeiro semestre bastante significativo, onde o crescimento dos lançamentos foi de mais de 57% em relação a 2020. Um primeiro semestre onde as vendas cresceram 46% em números de unidades em relação ao ano passado e continua o processo de menos lançamentos e mais vendas, com consequente diminuição de oferta”, comentou.

Impacto da alta dos juros

A alta dos juros pode desacelerar o mercado imobiliário em 2022. Segundo Celso  Petrucci, o próximo ano será desafiador, entretanto o setor retornará o crescimento:

“O ano que vem será desafiador, mas, além de uma demanda reprimida, pode ser que as pessoas procurem por imóveis como reserva de valor para não depender da volatilidade do mercado financeiro”, afirmou Petrucci.

Casa Verde e Amarela

Quanto ao desempenho do segmento Casa Verde e Amarela (CVA), a alta dos materiais de construção influenciou na queda de 15%. Conforme informado por pelo economista Petrucci, a CBIC Economia informou que tem atuado junto ao Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), Ministério da Economia e ao Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (CCFGTS) na questão da queda significativa no último trimestre da participação do programa, tanto em relação ao lançamento quanto nas vendas de imóveis.

Segmentos de médio e alto padrão

Um segmento que se manteve em alta contínua foi o Médio e Alto Padrão (MAP). Isso porque, além da característica de estabilidade mesmo diante de crises, os consumidores desse setor passaram a buscar por imóveis com mais:

  • Conforto e bem-estar;
  • Maior conectividade para prática de  home office;
  • Mais segurança;
  • Espaço fitness;
  • Espaço esportivo;
  • Áreas de lazer no geral.

Para o ano de 2022, as projeções são de que o ano não seja tão rentável quanto este, afinal, batemos o melhor 1º semestre da série histórica do país. Mas, sabemos que o MAP é objeto de desejo de muitos corretores e com o início de um novo ano despontando no calendário, já podemos projetar que o próximo ano reserve grandes negócios para incorporadoras, construtoras, loteadoras e imobiliárias.

Expectativas do imobiliário

Em uma conversa de mercado imobiliário, os sócios dirigentes da Brain Inteligência Estratégica, Fábio Tadeu Araújo sócio-diretor, e Marcos Kahtalian sócio-fundador, conversam sobre:

  • Visão das empresas para a economia do Brasil para o próximo ano
  • Setores que terão as maiores oportunidades em 2022
  • Comércio eletrônico e mercado industrial logístico
  • Desemprego na região nordeste 
  • O que preocupa os consumidores
  • Qual o cuidado que o empresário precisa ter no desenvolvimento de um produto residencial
  • O que preocupa os empresários

Acompanhe:

No dia 30/11, das 09 às 10h30, a Brain reuniu alguns dos grandes especialistas do Mercado Imobiliário Nacional para discutir os tópicos sobre as perspectivas do mercado imobiliário em 2022:

● Perspectivas de crédito e juros para aquisição de imóveis em 2022

● Qual o fôlego do mercado imobiliário para lançamentos residenciais em 2022? Há espaço para crescimento? O setor será pujante?   

● Desafios e estratégias do mercado da incorporação e da construção civil para colocar o produto no bolso do consumidor em 2022 

Você pode acompanhar o Webinar clicando AQUI!

Como manter suas vendas em alta no ano de 2022?

O Brasil enfrentou e ainda enfrenta uma temerosa crise sanitária e econômica. Alguns disseram que seria passageira, mas a verdade é que toda a economia do país sofreu e tem sofrido com os altos índices de inflação e com a economia mundo afora enfraquecida. O fato é que a partir de agora sua incorporadora precisa estar preparada para sair fortalecida e melhorar a produtividade.

Para uma boa gestão é imprescindível dispor de sistemas de gestão imobiliária. Com esses sistemas, é possível gerenciar, como o próprio nome incita, todo o sistema operacional da sua construtora. Portanto, esse tipo de sistema aumenta a produtividade e, consequentemente, as vendas. Exemplos: ERP UAU e o Sienge.

É nesse cenário que a tecnologia tem atuado como um meio essencial de facilitar a comunicação com o cliente, organizar as diversas informações que o corretor tem disponível e ainda oferecer para o gestor o meio de ficar mais próximo de todo o sistema operacional da construtora.

Além dessas ferramentas, existem no mercado imobiliário diversas opções que facilitam a gestão e com isso aumenta a produtividade da equipe. Mas é importante salientar que além de ferramentas e sistemas, é possível aumentar a produtividade motivando a equipe de vendas, uma vez que, uma equipe motivada consegue ser mais produtiva e vender mais!

Saiba mais como as ferramentas podem auxiliar as construtoras a aperfeiçoarem a gestão de suas equipes de vendas e aumentarem seus resultados. Solicite uma demonstração e conheça mais sobre o App Facilita.

E se vender um imóvel fosse fácil? 

Quer saber como um processo de vendas 100% digital facilita a vida de gestores e corretores? Confira o depoimento dos nossos clientes!

E se seus corretores conseguissem vender a qualquer hora, em qualquer lugar? Com o Facilita, sua equipe comercial possui dados atualizados dos imóveis na palma da mão: materiais de venda, disponibilidade de unidades, tabelas de preço e valores. 

Os corretores também conseguem simular e enviar propostas pelo próprio smartphone, com rapidez e eficiência. Isso é para não perder nenhuma venda!

Já o gestor possui todo o controle do processo em um só lugar, desde a captação do lead até a assinatura do contrato. Chega de planilha, ligação ou mensagem no whatsapp. Agora dá para acompanhar os atendimentos, ver o desempenho da equipe e rastrear as vendas em tempo real.

Vamos juntos transformar o mercado imobiliário?

Conheça nossa Redatora e Analista de Marketing! Especialista em Marketing Digital, Gestão de Vendas e Letramento Informacional, Elen é uma verdadeira apaixonada por desvendar os segredos do mercado imobiliário. Sua missão é ajudar você a aprimorar processos e manter-se atualizado com as mudanças constantes do setor. Prepare-se para uma jornada de vendas fácil, descomplicada e transformadora, com conteúdo que fará toda a diferença!

Continue lendo
Clique aqui para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mercado Imobiliário

Queda da Selic e aumento nas buscas por compra de imóveis em 2024

Publicado a

I

Compreenda o cenário atual do mercado imobiliário brasileiro em 2024 e como as recentes mudanças na taxa básica de juros têm impactado as buscas por compra de imóveis. Nesse post, vamos explorar em detalhes as consequências da queda da Selic e as oportunidades que surgem para as incorporadoras, loteadoras e imobiliárias e para quem busca realizar o sonho da casa própria este ano. Não deixe de acompanhar a análise sobre as transformações econômicas e seus reflexos no setor habitacional, confira!

Redução da Taxa Selic

O cenário econômico brasileiro vem passando por mudanças significativas, refletindo diretamente no mercado imobiliário. Em meio a essas transformações, destacamos um fator crucial: a redução da taxa Selic. Na última decisão do Copom, realizada em 31 de janeiro, a taxa básica de juros foi reduzida para 11,25% ao ano, marcando o quinto corte consecutivo e atingindo seu menor nível desde março de 2022. Essa medida tem implicações diretas no setor imobiliário, estimulando um aumento nas buscas por compra de imóveis.

Aumento nas buscas por compra e venda de imóveis no Google

De acordo com dados do Google, as pesquisas relacionadas à compra e venda de imóveis cresceram significativamente em janeiro de 2024, registrando um aumento de 12,2% em comparação ao mesmo período do ano anterior. Esse crescimento foi ainda mais expressivo em alguns estados, como Espírito Santo, Piauí e Tocantins, onde as buscas aumentaram mais de 20%.

A busca por alternativas habitacionais também se destacou, com um aumento de 25% nas pesquisas relacionadas à mudança de moradia, sugerindo um maior interesse em deixar o aluguel e investir na compra da casa própria. Esse movimento é impulsionado não apenas pela queda na taxa de juros, mas também pelo desejo de estabilidade e segurança proporcionados pela posse do imóvel.

É importante ressaltar que a Caixa Econômica Federal, como principal instituição financeira no mercado imobiliário, também foi alvo frequente das buscas, principalmente por sua atuação em programas como o Minha Casa, Minha Vida (MCMV) e pela competitividade de suas taxas de juros.

A crescente demanda por moradias próprias, refletindo não apenas uma busca por segurança financeira, mas também por estabilidade e conforto. Com a redução da taxa Selic e as oportunidades oferecidas pelo mercado, o momento se mostra propício para aqueles que desejam realizar o sonho da casa própria em 2024 e é um cenário de oportunidades de vendas para incorporadoras, loteadoras e imobiliárias.

O que você achou do conteúdo? Não deixe de continuar acompanhando as novidades do nosso blog!

Continue lendo

Mercado Imobiliário

O sonho da casa própria em 2024: pagamento à vista em destaque

Publicado a

I

O ano de 2024 promete ser marcante para muitos brasileiros que almejam conquistar a casa própria, revelam pesquisas recentes. Com 31% dos entrevistados desejando realizar esse sonho, a perspectiva é otimista, especialmente para quem planeja pagar à vista, sendo esse o objetivo de 47% dos futuros proprietários.

A pesquisa da Febraban indica que a busca por um lar próprio está alinhada com a expectativa de melhoria na vida pessoal e familiar de 74% dos entrevistados. Essa inclinação também reflete no crescimento do Minha Casa Minha Vida, impulsionando os negócios em quase 30% em comparação com 2022.

A preferência pelo pagamento à vista é confirmada pela pesquisa do Grupo OLX, revelando que 11% dos interessados planejam utilizar o saldo do FGTS para concretizar a compra. Enquanto 51% consideraram um financiamento, quase metade não busca crédito, apontando para uma abordagem cautelosa diante das opções disponíveis.

Cortes na taxa de juros em 2024 

A perspectiva de novos cortes na taxa de juros em 2024 e a reorganização do mercado de financiamentos incentivam diversas empresas imobiliárias a explorar oportunidades de rentabilidade por meio de financiamentos, destacando o momento positivo no setor.

Em paralelo, o mercado imobiliário em Santa Catarina se destaca, movimentando negócios milionários em cidades como Balneário Camboriú, Itapema e Florianópolis. Cidades como São José e Itajaí registraram valorizações expressivas, enquanto o mercado de locação de temporada apresentou crescimento significativo no verão.

Empresas especializadas, como o Espaço Smart, projetam faturar R$ 500 milhões em 2024, atendendo clientes de alto padrão com uma proposta inovadora de escolha do projeto e construção.

A pesquisa do Grupo OLX também revela que, apesar da maioria (51%) considerar um financiamento necessário, mais de 40% dos futuros compradores demoram mais de 12 meses para fechar o negócio, destacando a complexidade da decisão.

Financiamento imobiliário

O cenário de saques consecutivos na poupança nos últimos anos desafia o crédito imobiliário, sinalizando a necessidade de novas fontes de financiamento. Analistas apontam que as retiradas refletem um orçamento mais apertado e alto endividamento das famílias, destacando a importância de opções estruturais para sustentar o setor.

Em meio a esse panorama, a jornada digital se destaca, com portais imobiliários e sites de anúncios dominando a busca por imóveis, evidenciando a tendência de uma jornada cada vez mais digital, autônoma e eficiente para os futuros proprietários.

O ano de 2024 se desenha como um período promissor para o setor imobiliário, com as expectativas positivas refletindo não apenas o desejo da casa própria, mas também a busca por soluções inovadoras e estratégicas em um mercado dinâmico e em constante transformação.

Planejamento de lançamentos em 2024

Gestores Comerciais de Construtoras, existem vários discursos lindos e envolventes… mas na prática: quais são os resultados de se aplicar tecnologia em lançamentos? Glauco Farnezi, como CEO do Facilita, acompanhou lançamentos de mais de 300 construtoras nos últimos anos e analisou mais de 2,5 milhões de atendimentos e um VGV de R$ 7,6 bilhões. Ele compartilhará benchmarkings e insights com outros gestores comerciais de construtoras que querem bater suas metas de vendas nos lançamentos.

Continue lendo

Mercado Imobiliário

O seu CRM atual é adaptável ao seu processo de vendas?

Publicado a

I

Continue lendo

mais acessados do Blog

pt_BRPortuguese