Conecte-se conosco

Mercado Imobiliário

Entenda a polêmica sobre a correção do FGTS e a possível decisão do STF

Publicado a

I

Você já ouviu falar sobre a taxa de referência (TR) do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS)? Ela pode parecer um assunto pouco relevante para muitos, mas a verdade é que uma mudança em sua forma de cálculo pode ter um grande impacto no bolso dos trabalhadores e no mercado imobiliário brasileiro. 

E é justamente isso que está em jogo no julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF) que decidirá se a TR continuará a ser usada para corrigir os valores do FGTS ou se será substituída por um índice de inflação. Neste artigo, vamos explorar os prós e contras dessa mudança e como ela pode afetar você. 

A polêmica sobre a correção do FGTS

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) é um direito trabalhista assegurado pela Constituição brasileira, que garante aos trabalhadores uma reserva financeira para momentos de dificuldade, como demissão sem justa causa, doença grave, aposentadoria e outros casos previstos em lei.

Desde 1999, a correção monetária do FGTS é feita pela Taxa Referencial (TR), um índice que reflete a média ponderada das taxas de juros praticadas pelos bancos no mercado interbancário. No entanto, desde então, o índice tem sido criticado por não acompanhar a inflação e gerar perda de poder aquisitivo para os trabalhadores.

Nos últimos anos, diversas ações judiciais têm questionado a utilização da TR para a correção do FGTS, pedindo a substituição do índice pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que é utilizado como referência para a inflação oficial no país.

Em 2021, o Supremo Tribunal Federal (STF) voltou a julgar a questão, que está em discussão no Recurso Extraordinário (RE) n° 1.246.611. A expectativa é que o julgamento seja retomado nesta quinta-feira, dia 28 de abril.

A utilização da TR para a correção do FGTS tem sido questionada por diversos motivos. O principal deles é que a TR não acompanha a inflação, o que significa que o saldo do FGTS perde valor ao longo do tempo.

Além disso, a utilização da TR para a correção do FGTS é vista como uma forma de transferir recursos dos trabalhadores para os bancos, já que a TR é calculada com base nas taxas de juros praticadas pelos bancos no mercado interbancário.

Outra crítica à utilização da TR para a correção do FGTS é que o índice tem sido cada vez mais baixo nos últimos anos, o que significa que a correção do saldo do FGTS tem sido cada vez menor. Desde 2017, por exemplo, a TR tem ficado abaixo da inflação, o que significa que o saldo do FGTS perde valor.

A possível decisão do STF sobre a correção do FGTS

A expectativa é que STF decida pela substituição da TR pelo IPCA como índice de correção do FGTS. No entanto, ainda não está claro se a decisão terá efeito retroativo, ou seja, se os valores já depositados no FGTS serão corrigidos retroativamente pelo novo índice.

Se a decisão do STF tiver efeito retroativo, isso poderá gerar um impacto bilionário nos cofres públicos e afetar o mercado imobiliário, já que muitas pessoas utilizam o saldo do FGTS para comprar imóveis. Além disso, a decisão poderá gerar uma pressão inflacionária, já que a correção do FGTS pelo IPCA poderá aumentar a demanda por produtos e serviços.

Além disso, a mudança na taxa de correção monetária do FGTS pode ter impactos significativos no mercado imobiliário e no programa habitacional Minha Casa, Minha Vida, uma vez que a correção monetária do FGTS é uma das principais fontes de recursos para o financiamento de habitação popular no Brasil.

No entanto, alguns analistas argumentam que a mudança para o IPCA como índice de correção poderia beneficiar os trabalhadores brasileiros, já que a taxa de correção seria mais justa e condizente com a realidade da inflação no país.

Cabe ressaltar que a decisão do STF ainda não foi tomada e, mesmo que seja decidido pela mudança na taxa de correção, poderá ser estabelecido um período de transição para a implementação da medida.

Posta em pauta a discussão, é ressaltado que o caso do FGTS no STF é de grande importância para os trabalhadores brasileiros e para o mercado imobiliário do país. A decisão pode ter impactos significativos em ambos, e é importante que os interessados acompanhem de perto o desenrolar do julgamento.

Cabe destacar ainda, que a decisão do STF não será definitiva e pode ser objeto de recursos e discussões posteriores. Portanto, é preciso ter atenção diante dos possíveis desdobramentos do caso no futuro e o impacto da pauta no mercado imobiliário. 

Conheça nossa Redatora e Analista de Marketing! Especialista em Marketing Digital, Gestão de Vendas e Letramento Informacional, Elen é uma verdadeira apaixonada por desvendar os segredos do mercado imobiliário. Sua missão é ajudar você a aprimorar processos e manter-se atualizado com as mudanças constantes do setor. Prepare-se para uma jornada de vendas fácil, descomplicada e transformadora, com conteúdo que fará toda a diferença!

Mercado Imobiliário

O sonho da casa própria em 2024: pagamento à vista em destaque

Publicado a

I

O ano de 2024 promete ser marcante para muitos brasileiros que almejam conquistar a casa própria, revelam pesquisas recentes. Com 31% dos entrevistados desejando realizar esse sonho, a perspectiva é otimista, especialmente para quem planeja pagar à vista, sendo esse o objetivo de 47% dos futuros proprietários.

A pesquisa da Febraban indica que a busca por um lar próprio está alinhada com a expectativa de melhoria na vida pessoal e familiar de 74% dos entrevistados. Essa inclinação também reflete no crescimento do Minha Casa Minha Vida, impulsionando os negócios em quase 30% em comparação com 2022.

A preferência pelo pagamento à vista é confirmada pela pesquisa do Grupo OLX, revelando que 11% dos interessados planejam utilizar o saldo do FGTS para concretizar a compra. Enquanto 51% consideraram um financiamento, quase metade não busca crédito, apontando para uma abordagem cautelosa diante das opções disponíveis.

Cortes na taxa de juros em 2024 

A perspectiva de novos cortes na taxa de juros em 2024 e a reorganização do mercado de financiamentos incentivam diversas empresas imobiliárias a explorar oportunidades de rentabilidade por meio de financiamentos, destacando o momento positivo no setor.

Em paralelo, o mercado imobiliário em Santa Catarina se destaca, movimentando negócios milionários em cidades como Balneário Camboriú, Itapema e Florianópolis. Cidades como São José e Itajaí registraram valorizações expressivas, enquanto o mercado de locação de temporada apresentou crescimento significativo no verão.

Empresas especializadas, como o Espaço Smart, projetam faturar R$ 500 milhões em 2024, atendendo clientes de alto padrão com uma proposta inovadora de escolha do projeto e construção.

A pesquisa do Grupo OLX também revela que, apesar da maioria (51%) considerar um financiamento necessário, mais de 40% dos futuros compradores demoram mais de 12 meses para fechar o negócio, destacando a complexidade da decisão.

Financiamento imobiliário

O cenário de saques consecutivos na poupança nos últimos anos desafia o crédito imobiliário, sinalizando a necessidade de novas fontes de financiamento. Analistas apontam que as retiradas refletem um orçamento mais apertado e alto endividamento das famílias, destacando a importância de opções estruturais para sustentar o setor.

Em meio a esse panorama, a jornada digital se destaca, com portais imobiliários e sites de anúncios dominando a busca por imóveis, evidenciando a tendência de uma jornada cada vez mais digital, autônoma e eficiente para os futuros proprietários.

O ano de 2024 se desenha como um período promissor para o setor imobiliário, com as expectativas positivas refletindo não apenas o desejo da casa própria, mas também a busca por soluções inovadoras e estratégicas em um mercado dinâmico e em constante transformação.

Planejamento de lançamentos em 2024

Gestores Comerciais de Construtoras, existem vários discursos lindos e envolventes… mas na prática: quais são os resultados de se aplicar tecnologia em lançamentos? Glauco Farnezi, como CEO do Facilita, acompanhou lançamentos de mais de 300 construtoras nos últimos anos e analisou mais de 2,5 milhões de atendimentos e um VGV de R$ 7,6 bilhões. Ele compartilhará benchmarkings e insights com outros gestores comerciais de construtoras que querem bater suas metas de vendas nos lançamentos.

Continue lendo

Mercado Imobiliário

O seu CRM atual é adaptável ao seu processo de vendas?

Publicado a

I

Continue lendo

Mercado Imobiliário

Conheça a melhor experiência pós-venda do mercado imobiliário

Publicado a

I

Já ficou sabendo da mais recente inovação no setor imobiliário? O novo Portal de Pós-venda do Facilita, um espaço dedicado para aprimorar a experiência do cliente após a compra do seu imóvel. Vamos mergulhar nos detalhes e descobrir como essa solução do Facilita Clientes está transformando a jornada pós-venda no setor imobiliário. Vamos lá!

Sobre Portal de Pós-venda do Facilita

O Portal de Pós-venda foi concebido para proporcionar ao cliente final uma maneira simplificada e eficiente de acompanhar sua compra e executar tarefas relacionadas ao pagamento de parcelas. Este novo recurso traz uma série de benefícios e funcionalidades, tudo projetado para tornar a experiência pós-compra tão excepcional quanto a própria aquisição do imóvel.

Principais Benefícios

Interface Amigável: Desenvolvemos uma interface intuitiva, garantindo que o cliente final possa navegar com facilidade e compreender todas as funcionalidades disponíveis.

Desempenho Aprimorado: O novo portal oferece um desempenho superior e uma navegação mais fluida, proporcionando uma experiência online mais agradável.

Controle de Parcelas: Visualização fácil das parcelas atrasadas e vigentes, além de ter acesso a todas as informações sobre o financiamento, incluindo a possibilidade de antecipação com descontos aplicados.

Informações Relevantes: Uma aba dedicada para que a sua construtora possa compartilhar campanhas de desconto, novidades e informações gerais sobre a venda para o cliente final.

Acompanhamento da Obra: Os clientes podem acompanhar o andamento da obra por meio de atualizações e galerias de imagens, mantendo-os conectados ao desenvolvimento do seu investimento.

Funcionalidades Destacadas

  • Pagamentos simples: É possível realizar o pagamento das faturas da compra/venda de forma prática, seja por boleto ou PIX.
  • Antecipação de parcelas: Oferecemos a opção de antecipar parcelas, proporcionando transparência sobre os descontos aplicados.
  • Documentação conveniente: Gere a 2ª via de boletos, retire extratos de parcelas pagas e obtenha declarações de imposto de renda, tudo de forma rápida e fácil.
  • Informações atualizadas: Mantenha-se informado sobre novidades, andamento da obra e atualize seus dados cadastrais e de acesso diretamente no ERP.

Recursos Relacionados

Este novo portal pode ser totalmente integrado ao ERP UAU, garantindo uma experiência unificada e eficiente para clientes e equipe.

Proposta, reserva e muito mais!

Explore o futuro do pós-venda imobiliário com o Portal Facilita. Faça parte dessa revolução e descubra uma nova era de excelência no atendimento ao cliente! Quer saber mais? Fale com um de nossos consultores agora mesmo.

Continue lendo

mais acessados do Blog

pt_BRPortuguese