Conecte-se conosco

Mercado Imobiliário

Mudanças no MCMV podem beneficiar a classe média e aquecer o mercado imobiliário

Publicado a

I

O programa habitacional Minha Casa Minha Vida (MCMV), uma das principais marcas resgatadas pelo governo do presidente Lula em seu terceiro mandato, está passando por mudanças significativas. O objetivo é estender seus benefícios também à classe média, permitindo que famílias com renda mais alta tenham acesso a financiamentos para a compra de imóveis. Essas alterações têm o potencial de aquecer o mercado imobiliário e impulsionar a demanda por unidades habitacionais. Neste artigo, exploraremos as propostas em discussão e os possíveis impactos dessas medidas. Confira!

Ampliação do MCMV para a classe média

Ampliação do teto para R$ 500 mil: uma das propostas em análise pelo governo é elevar o valor máximo do imóvel financiado pelo MCMV para a classe média para R$ 500 mil. Atualmente, o limite é de R$ 264 mil, variando de acordo com a região do país. Essa mudança permitiria que famílias com renda mensal de até R$ 10 mil ou R$ 12 mil tivessem acesso ao programa habitacional. O Ministério das Cidades está realizando cálculos para avaliar a capacidade do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) de suportar o aumento de demanda por recursos para as novas faixas do programa.

No caso de financiamento, houve uma redução na taxa de juros para famílias com renda mensal de até R$ 2 mil. Nas regiões Norte e Nordeste, a taxa foi reduzida de 4,25% para 4% ao ano. Já nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste, a taxa diminuiu de 4,5% para 4,25% ao ano. Mais informações podem ser encontradas na tabela abaixo:

Fonte: Ministério das Cidades

Foi atualizado o valor máximo do imóvel disponível na faixa 3 para famílias com renda entre R$ 4,4 mil e R$ 8 mil. Esse valor subiu de R$ 264 mil para até R$ 350 mil em todo o país, abrangendo não apenas as cidades do Rio de Janeiro, Brasília e São Paulo. Já para as faixas 1 e 2 do programa MCMV, o limite dos imóveis varia entre R$ 190 mil e R$ 264 mil, dependendo da localização do imóvel. 

Benefícios para a classe média

A ampliação do MCMV para a classe média representa uma oportunidade significativa para esse segmento da população. Ao permitir que famílias com renda mais alta tenham acesso a financiamentos e aumentar o teto do valor do imóvel, o governo está facilitando o sonho da casa própria para um público mais abrangente. Isso não apenas fortalece a estabilidade financeira dessas famílias, mas também impulsiona o mercado imobiliário, gerando demanda por novas unidades habitacionais e estimulando a cadeia produtiva do setor.

Possíveis impactos no mercado imobiliário

As mudanças propostas têm o potencial de aquecer o mercado imobiliário. A ampliação do MCMV para a classe média pode resultar em um aumento na procura por imóveis, impulsionando as vendas e estimulando a construção civil. Além disso, medidas que visam reduzir ou zerar o valor da entrada na compra de imóveis para a faixa de baixa renda também contribuem para o fortalecimento do mercado, permitindo que mais pessoas tenham acesso à casa própria.

Fatores a considerar 

É importante destacar que o aquecimento do mercado imobiliário não depende exclusivamente das mudanças nas regras de financiamento do MCMV. Outros fatores, como a situação econômica do país, as condições de financiamento, a confiança dos consumidores e a oferta de imóveis, também desempenham um papel crucial. Ainda assim, as medidas em análise pelo governo podem contribuir positivamente para impulsionar o setor imobiliário.

As propostas de ampliação do MCMV para a classe média, com o aumento do teto do valor do imóvel para R$ 500 mil, demonstram a princípio o compromisso do governo em proporcionar oportunidades de moradia digna para um segmento mais abrangente da população. Essas mudanças têm o potencial de aquecer o mercado imobiliário, impulsionando a demanda por unidades habitacionais e fortalecendo a cadeia produtiva do setor.

Além disso, ao buscar parcerias com governos estaduais e municipais para ampliar os subsídios do programa e zerar o valor da entrada na compra de imóveis para a faixa de baixa renda, o governo parece demonstrar preocupação em atender às necessidades das famílias mais vulneráveis, promovendo inclusão social e proporcionando melhores condições de vida.

No entanto, é importante considerar que o sucesso dessas medidas também depende de fatores externos, como a situação econômica do país e as condições de financiamento. Portanto, é necessário que o governo adote uma abordagem cuidadosa e faça análises aprofundadas para garantir a sustentabilidade e a efetividade dessas mudanças.

O ponto é que as propostas em discussão para estender o MCMV à classe média têm o potencial de impulsionar o mercado imobiliário, oferecer mais oportunidades de moradia digna e promover a inclusão social. Com medidas adequadas e parcerias estratégicas, o programa pode se tornar uma ferramenta poderosa para melhorar as condições de habitação no Brasil, beneficiando diferentes camadas da população e contribuindo para o desenvolvimento econômico do país.

Simplificando a Gestão de Empreendimentos Imobiliários

À medida que discutimos a possibilidade de ampliar o programa MCMV para a classe média, a solução do Facilita desempenha um papel essencial nesse contexto. Com essa ferramenta, as incorporadoras e construtoras podem adaptar-se rapidamente às mudanças nas regras e requisitos do programa, atualizando informações sobre os empreendimentos disponíveis, condições de financiamento e elegibilidade dos compradores.

O App Facilita é uma ferramenta de CRM e Gestão de Empreendimentos desenvolvida para incorporadoras, construtoras e imobiliárias. Com recursos avançados, essa plataforma oferece uma solução completa para agilizar e otimizar os processos internos dessas empresas, proporcionando uma gestão eficiente e um melhor atendimento aos clientes.

Além disso, o CRM Facilita permite o registro e acompanhamento de todas as interações com os clientes, desde o primeiro contato até o fim da venda. Isso proporciona uma comunicação mais eficiente, uma compreensão aprofundada das necessidades dos clientes e a oferta de soluções personalizadas. Dessa forma, as empresas podem aumentar suas chances de concretizar vendas e fidelizar os compradores.

Com recursos de análise e relatórios, o Facilita também oferece insights valiosos sobre o desempenho dos empreendimentos, as estratégias de marketing e vendas, e as tendências do mercado imobiliário. Essas informações auxiliam as empresas na tomada de decisões embasadas e na identificação de oportunidades de negócio.

Simples, do início ao fim da venda! O Facilita simplifica a gestão de empreendimentos imobiliários, proporcionando às incorporadoras, construtoras e imobiliárias uma plataforma abrangente para aprimorar seus processos internos e a interação com os clientes. Com a possibilidade de expansão do MCMV para a classe média, o App Facilita se torna uma ferramenta indispensável para acompanhar e atender às mudanças nas políticas habitacionais, garantindo que as empresas estejam preparadas para essa nova demanda.

Quer saber mais? Fale com um de nossos especialistas!

Conheça nossa Redatora e Analista de Marketing! Especialista em Marketing Digital, Gestão de Vendas e Letramento Informacional, Elen é uma verdadeira apaixonada por desvendar os segredos do mercado imobiliário. Sua missão é ajudar você a aprimorar processos e manter-se atualizado com as mudanças constantes do setor. Prepare-se para uma jornada de vendas fácil, descomplicada e transformadora, com conteúdo que fará toda a diferença!

Mercado Imobiliário

Queda da Selic e aumento nas buscas por compra de imóveis em 2024

Publicado a

I

Compreenda o cenário atual do mercado imobiliário brasileiro em 2024 e como as recentes mudanças na taxa básica de juros têm impactado as buscas por compra de imóveis. Nesse post, vamos explorar em detalhes as consequências da queda da Selic e as oportunidades que surgem para as incorporadoras, loteadoras e imobiliárias e para quem busca realizar o sonho da casa própria este ano. Não deixe de acompanhar a análise sobre as transformações econômicas e seus reflexos no setor habitacional, confira!

Redução da Taxa Selic

O cenário econômico brasileiro vem passando por mudanças significativas, refletindo diretamente no mercado imobiliário. Em meio a essas transformações, destacamos um fator crucial: a redução da taxa Selic. Na última decisão do Copom, realizada em 31 de janeiro, a taxa básica de juros foi reduzida para 11,25% ao ano, marcando o quinto corte consecutivo e atingindo seu menor nível desde março de 2022. Essa medida tem implicações diretas no setor imobiliário, estimulando um aumento nas buscas por compra de imóveis.

Aumento nas buscas por compra e venda de imóveis no Google

De acordo com dados do Google, as pesquisas relacionadas à compra e venda de imóveis cresceram significativamente em janeiro de 2024, registrando um aumento de 12,2% em comparação ao mesmo período do ano anterior. Esse crescimento foi ainda mais expressivo em alguns estados, como Espírito Santo, Piauí e Tocantins, onde as buscas aumentaram mais de 20%.

A busca por alternativas habitacionais também se destacou, com um aumento de 25% nas pesquisas relacionadas à mudança de moradia, sugerindo um maior interesse em deixar o aluguel e investir na compra da casa própria. Esse movimento é impulsionado não apenas pela queda na taxa de juros, mas também pelo desejo de estabilidade e segurança proporcionados pela posse do imóvel.

É importante ressaltar que a Caixa Econômica Federal, como principal instituição financeira no mercado imobiliário, também foi alvo frequente das buscas, principalmente por sua atuação em programas como o Minha Casa, Minha Vida (MCMV) e pela competitividade de suas taxas de juros.

A crescente demanda por moradias próprias, refletindo não apenas uma busca por segurança financeira, mas também por estabilidade e conforto. Com a redução da taxa Selic e as oportunidades oferecidas pelo mercado, o momento se mostra propício para aqueles que desejam realizar o sonho da casa própria em 2024 e é um cenário de oportunidades de vendas para incorporadoras, loteadoras e imobiliárias.

O que você achou do conteúdo? Não deixe de continuar acompanhando as novidades do nosso blog!

Continue lendo

Mercado Imobiliário

O sonho da casa própria em 2024: pagamento à vista em destaque

Publicado a

I

O ano de 2024 promete ser marcante para muitos brasileiros que almejam conquistar a casa própria, revelam pesquisas recentes. Com 31% dos entrevistados desejando realizar esse sonho, a perspectiva é otimista, especialmente para quem planeja pagar à vista, sendo esse o objetivo de 47% dos futuros proprietários.

A pesquisa da Febraban indica que a busca por um lar próprio está alinhada com a expectativa de melhoria na vida pessoal e familiar de 74% dos entrevistados. Essa inclinação também reflete no crescimento do Minha Casa Minha Vida, impulsionando os negócios em quase 30% em comparação com 2022.

A preferência pelo pagamento à vista é confirmada pela pesquisa do Grupo OLX, revelando que 11% dos interessados planejam utilizar o saldo do FGTS para concretizar a compra. Enquanto 51% consideraram um financiamento, quase metade não busca crédito, apontando para uma abordagem cautelosa diante das opções disponíveis.

Cortes na taxa de juros em 2024 

A perspectiva de novos cortes na taxa de juros em 2024 e a reorganização do mercado de financiamentos incentivam diversas empresas imobiliárias a explorar oportunidades de rentabilidade por meio de financiamentos, destacando o momento positivo no setor.

Em paralelo, o mercado imobiliário em Santa Catarina se destaca, movimentando negócios milionários em cidades como Balneário Camboriú, Itapema e Florianópolis. Cidades como São José e Itajaí registraram valorizações expressivas, enquanto o mercado de locação de temporada apresentou crescimento significativo no verão.

Empresas especializadas, como o Espaço Smart, projetam faturar R$ 500 milhões em 2024, atendendo clientes de alto padrão com uma proposta inovadora de escolha do projeto e construção.

A pesquisa do Grupo OLX também revela que, apesar da maioria (51%) considerar um financiamento necessário, mais de 40% dos futuros compradores demoram mais de 12 meses para fechar o negócio, destacando a complexidade da decisão.

Financiamento imobiliário

O cenário de saques consecutivos na poupança nos últimos anos desafia o crédito imobiliário, sinalizando a necessidade de novas fontes de financiamento. Analistas apontam que as retiradas refletem um orçamento mais apertado e alto endividamento das famílias, destacando a importância de opções estruturais para sustentar o setor.

Em meio a esse panorama, a jornada digital se destaca, com portais imobiliários e sites de anúncios dominando a busca por imóveis, evidenciando a tendência de uma jornada cada vez mais digital, autônoma e eficiente para os futuros proprietários.

O ano de 2024 se desenha como um período promissor para o setor imobiliário, com as expectativas positivas refletindo não apenas o desejo da casa própria, mas também a busca por soluções inovadoras e estratégicas em um mercado dinâmico e em constante transformação.

Planejamento de lançamentos em 2024

Gestores Comerciais de Construtoras, existem vários discursos lindos e envolventes… mas na prática: quais são os resultados de se aplicar tecnologia em lançamentos? Glauco Farnezi, como CEO do Facilita, acompanhou lançamentos de mais de 300 construtoras nos últimos anos e analisou mais de 2,5 milhões de atendimentos e um VGV de R$ 7,6 bilhões. Ele compartilhará benchmarkings e insights com outros gestores comerciais de construtoras que querem bater suas metas de vendas nos lançamentos.

Continue lendo

Mercado Imobiliário

O seu CRM atual é adaptável ao seu processo de vendas?

Publicado a

I

Continue lendo

mais acessados do Blog

pt_BRPortuguese